in

La Casa de Papel – 8 curiosidades sobre a série da Netflix

Tempo de leitura: 5 minutos

Money Heist: The Phenomenon é um documentário que analisa o sucesso global da Série La Casa de Papel da Netflix. Aliás, a Netflix lançou o filme em abril de 2020.

Com uma hora de duração, o documentário mostra os bastidores da série e apresenta várias entrevistas. Afinal, a gente gosta de saber como é por trás das câmeras e de ver como são as cenas mais difíceis de se gravar.

Se você já assistiu as quatro temporadas da série mais assistida no mundo, vai gostar de conhecer as 8 curiosidades retiradas deste documentário.

Eles iriam cancelar La Casa de Papel após a fim da 1ª temporada

Quando a primeira temporada da série estreou na Espanha, o sucesso foi incrível. Pois a audiência registrou 4,5 milhões de pessoas. A saber, o canal Antena 3 foi quem lançou e transmitiu a série.

No entanto, do decorrer da temporada as audiências diminuíram. Por isso, o pessoal da série estava pronto para dar tchau pra série. Mas tudo mudou quando a Netflix decidiu “comprar” a série, resultando, assim, num dos maiores sucessos da plataforma de streaming.

Gravaram a primeira temporada inteira em Madrid, Espanha

Uma coisa que fica claro no documentário é o desejo dos criadores pelo sucesso internacional! Então, como a grana era curta, o jeito foi gravar tudo em Madrid. Os lugares estrangeiros que aparecerem na primeira temporada, por exemplo, foram criadas pelos diretores de arte.

Tóquio, o primeiro nome

Você deve ter se perguntado, porque os personagens têm nomes de cidades? Jesús Colmenar, o realizador e produtor da série, revela no documentário que Tóquio foi a primeira personagem a ganhar um nome. Uma ideia que surgiu, nada mais nada menos, através de uma camiseta estampada com o nome da cidade de Tóquio. Quem usava a camiseta era o criador Álex Pina, que apareceu por lá enquanto filmavam. Posteriormente, todo elenco de La Casa de Papel receberam seus nomes de cidades.

Escrevem o roteiro de La Casa de Papel em cima da hora

O que mais aconteceu em La Casa de Papel foi reviravoltas e mudanças no roteiro. Diante da ação da série e das ideias que vão surgindo, muitas das vezes o roteiro é escrito minutos antes de cada cena.

Na realidade, é deste jeito que os roteiristas compreendem como será cada cena, e o que pode ser acrescentado para melhorar.

O documentário, por exemplo, mostra uma cena, durante uma aula do Professor, onde os alunos tinham de realizar uma cirurgia num porco.

Escrevem o roteiro de La Casa de Papel em cima da hora

Esta cena poderia ser especialmente tensa para quem assiste, mas os roteiristas decidiram adicionar uma boa dose de humor em Marselha (Luka Peros). Nesta cena, ele se recusa a praticar no animal, pois se declara ativista dos direitos dos animais. Portanto, esta cena também foi escrita em cima da hora.

Duas cenas bem complicadas (spoiler)

Estão lembrados do momento onde Denver (Jaime Lorente) rouba o ouro debaixo da água do banco da Espanha? E daquela cena inesquecível de milhares de notas voando em plena praça?

Pois bem, estas são as duas cenas que mais se destacam no documentário.

Na primeira, o pessoal foi gravar numa piscina no Reino Unido. No entanto, apareceu um problema, as barras de ouro eram de espuma. Ou seja, entre ver elas flutuarem ou encolherem debaixo da água, eles escolheram os efeitos especiais.

Na segunda cena, o dificuldade foi o tempo que não queria ajudar. Por isso, eles repetiram por várias vezes a gravação. Imagine o trabalho dos figurantes para recolher as notas a cada take.

Navegando por águas internacionais (sqn)

Na segunda temporada de La Casa de Papel, a gente viu os bandidos fugirem num barco, em águas internacionais. Embora pareça estarem num inverno europeu, o documentário revela que eles gravaram na Tailândia com um calor de 40º.

La Casa de Papel inspirou assaltos e protestos

Das telas para a vida real. Há algum tempo atrás, 40 mil manifestantes antifascistas cantam “Bella Ciao” contra Salvini. A música usada na série, foi um hino antifascista durante a Segunda Guerra Mundial.

O sucesso foi tão grande, que inspirou outras manifestações pelo mundo cantarem a mesma canção.

Como se não bastasse, a série inspirou esses manifestantes usarem a máscaras de Salvador Dali combinando com macacões vermelhos. O uniforme vermelho está presente em protestos no Líbano, Chile, Iraque e França.

No entanto, muitos assaltantes também se inspiraram na série para praticarem roubos e assaltos pelo mundo!

Os símbolos que fizeram a série ser um sucesso

Como eu falei anteriormente, 3 símbolos marcaram a história de sucesso de La Casa de Papel: música, máscara e o vermelho.

O vermelho é intenso na série, e escolhido por representar o nervosismo, paixão e o estado de alerta. Esta cor ganha um destaque especial em planos escuros, por exemplo.

Por outro lado, a canção que foi o hino da resistência antifacista, volta aos nossos ouvidos graças a Javier Gómez Santandero. O roteirista e co-produtor executivo, conta que quando a ouviu um dia no set, sentiu que seria perfeita para a série. Já que o termo resistência também é tratado na série.

E foi assim que a canção também se tornou um sucesso!

As quatro temporadas de La Casa de Papel estão disponíveis na Netfix. A quinta e última temporada chega em 2021.


Você vai curtir este vídeo


A melhor hospedagem para o seu site

Merece 1 ponto seu?

Um Comentário

Comente aí gente!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Natal 2020 - Mensagem Motivacional para a família

Natal 2020 – Mensagem Motivacional para a família

Acima do Peso: Mulher perde 90 quilos para se vingar do ex namorado!0

Acima do Peso: Mulher perde 90 quilos para se vingar do ex namorado!